Atuando no segmento industrial desde 1996, a Isotron consolidou sua marca como fabricante de máquinas e equipamentos para solda por resistência. Com uma equipe de profissionais altamente qualificada, desenvolve soluções e projetos específicos de acordo com a demanda do cliente, atendendo desde microempresas até grandes indústrias. Parceira da SMC de longa data, a Isotron vem estreitando cada vez mais esse relacionamento. Nesta entrevista à eConnection, o diretor da empresa, Edgar Wilkens, comenta os projetos mais recentes e o diferencial de trabalhar com a SMC.
Edgar Wilkens e Máiron Tadini, da Isotron
Qual o mercado de atuação da Isotron e onde a empresa está presente? Autopeças, materiais elétricos e eletrônicos, peças para linha branca, metal mecânico. Nossas soluções estão presentes em todo o território nacional, além de alguns países da América Latina, Europa e Ásia. Como a parceria com a SMC vem contribuindo para o desenvolvimento dos projetos da Isotron? Buscamos sempre a inovação tecnológica para atender a tendência da indústria 4.0, e principalmente, a satisfação dos nossos clientes. Pode comentar como foi o processo de homologação dos Chillers SMC e por que escolheram a nossa empresa para essa linha de produtos? Basicamente, toda máquina de solda por resistência necessita de refrigeração por água. E se a água estiver gelada, a eficiência do equipamento, bem como a durabilidade dos componentes, aumentam significativamente, além de permitir melhor estabilidade no processo.
A Isotron costumava adquirir Chillers no mercado nacional ou importá-los de fabricantes variados, muitas vezes por indicação dos clientes. Quando conhecemos a linha SMC, devido à parceria já consolidada no segmento de pneumática, obtivemos boas condições comerciais e suporte técnico. Ao testarmos a primeira unidade, pudemos logo perceber as vantagens que teríamos com relação a todas as outras marcas com as quais já havíamos trabalhado. Para o senhor, quais os diferenciais dos Chillers SMC?
Em primeiro lugar a qualidade. Posteriormente, a tecnologia avançada, que permite uma redução no consumo de energia e, principalmente, a interatividade com nossas máquinas com relação aos recursos disponíveis. Após dois anos utilizando os Chillers SMC, não tivemos um caso sequer de reclamação quanto à manutenção desses equipamentos. Já fizemos diversas vendas para nossos clientes, a maior parte delas casada com equipamentos de solda, e sempre conquistamos alto grau de satisfação por oferecermos uma solução completa e de qualidade.  
Há outros projetos em conjunto entre a SMC e a Isotron? Pode comentar algum deles? Sim, a SMC está sempre trabalhando com a nossa Engenharia no desenvolvimento de soluções em pneumática, Chillers e atuadores elétricos. Atualmente é um dos nossos principais parceiros em automação. Para o senhor, quais são os principais diferenciais da SMC perante a concorrência? A qualidade, o atendimento, o suporte técnico e o prazo de entrega. Quais as suas expectativas para 2018? Iniciamos o ano com uma expectativa positiva, mas devido ao cenário político isso não se concretizou. Nossa estratégia é focar no mercado externo. Com a ajuda da SMC, conseguimos inserir tecnologia de ponta nos nossos equipamentos e torná-los ainda mais competitivos.

Equipamento de ponta na indústria automotiva

Em setembro de 2017, a Isotron entregou um projeto com tecnologia de ponta para seu cliente Prettl Automotive do Brasil. Trata-se de um equipamento que realiza solda e testes em porta-escovas utilizadas para controlar a movimentação do vidro da porta dos automóveis. Entre os diferenciais do equipamento, estão:

  • mesa giratória com 16 posições;
  • setups rápidos e inteligentes;
  • mecanismos automáticos de posicionamento dos berços para disposição correta nas estações de operação;
  • 5 postos de soldagem com monitoramento de pressão e deslocamento antes e depois da soldagem por meio de sensores analógicos;
  • extração automática com segregação entre peças boas e ruins;
  • tempo de ciclo de 4,5 segundos por peça.

“Além de todos os atuadores, a SMC forneceu os dispositivos que constituíram a rede de comunicação do equipamento”, diz Máiron Tadini, engenheiro eletricista da Isotron. “Foram utilizados blocos de válvulas conectados na rede de automação, o que tornou o projeto mais limpo e organizado e possibilitou redução de custos com mão de obra e infraestrutura”, completa. Foram usados produtos precisos na aplicação, principalmente por se tratar de peças muito pequenas. Além da comunicação em rede das válvulas VQC, mesas deslizantes série MXS, geradoras de vácuo série ZK2 e válvula de segurança série VP744-*X538 foram diferenciais para atender as aplicações do dispositivo.